Pilsen; Uma cerveja para todos os sentidos



O que a Pilsen tem? Conheça os atributos sensoriais que fazem dela uma cerveja especial. Saborear uma Pilsen vai muito além do mero ato de esvaziar um copo. Quando se ouve o leve tssss provocado pelo destampar de uma garrafa, uma excitação natural percorre o corpo. São os nossos sentidos reagindo à iminência de um exercício prazeroso. A experiência se amplia quando aquele líquido dourado sobe por uma tulipa cristalina até atingir o topo, derramando levemente sua espuma cremosa pelas bordas. Ao aproximar o copo do rosto, surge o aroma do malte. No primeiro gole, advém o sabor equilibrado e refrescante. A quinta reportagem da série Pilsen, uma paixão mundial mostra os atributos sensoriais da cerveja mais consumida no mundo, ou seja, o que faz dela tão especial.

Na literatura cervejeira, a análise sensorial é considerada a maneira mais precisa de se avaliar uma cerveja. No entanto, não é preciso aprofundar-se nos estudos da clássica Roda de Meilgaard, que reúne 44 componentes de sabor que podem ser encontrados numa cerveja.


Um dos maiores especialistas do ramo, o jornalista britânico Michael Jackson, dizia que basta abrir a mente e ser extremamente curioso ao se apreciar uma cerveja. Para isso, o melhor caminho é valer-se dos nossos sentidos, em especial a visão, o olfato e o paladar.

No caso da Pilsen, a primeira característica que fez dela um sucesso mundial foi a cor. Quando ela surgiu, em 1842, na República Tcheca, a cerveja em geral era escura e tradicionalmente bebida em canecas de estanho, ferro ou louça. Isso significa que os tchecos mal enxergavam o que estavam tomando. Na mesma época, a popularização do uso de copos de vidro tornou mágico o simples fato de olhar uma Pilsen sendo servida, pois até então não havia cervejas tão douradas e com uma espuma alva como neve.

“A cerveja é uma bebida mais informal, mas merece ser apreciada a pleno. É como quando se está diante de um prato de comida: você olha, cheira e prova. Nesse aspecto, o visual é muito importante, afinal é a primeira coisa que se observa numa cerveja. Quando se bebe uma Pilsen, é lindo você olhar uma tulipa contra a luz, com aquela espuma cremosa, carbonatada e de um dourado límpido”, afirma André Vasquez, beer sommelier e curador do clube de cervejas Oh My Beer.

Com suas características que aguçam todos os sentidos, Pilsen conquista o mundo há quase dois séculos.

Cor amarelada conquistou o mundo

Nos três tipos clássicos de Pilsen, a Bohemian, a German e a American Lager, o visual pouco difere, transitando entre o amarelo palha e um dourado mais intenso. Em geral, as American Lager são mais claras, por conta do uso de cereais não-maltados em sua fabricação. Já a Bohemian e a German têm uma tonalidade próxima do ouro.

De acordo com o beer sommelier Gil Lebre, o aroma da Pilsen se caracteriza por deixar transcender os acentos florais e herbais, até mesmo uma certa picancia. Há notas de pão e biscoito, com destaque para o cheiro marcante do lúpulo Saaz nas Bohemian. Alguns equipamentos usados na fabricação também podem contribuir para o aroma, como os barris de madeira ainda hoje usados por algumas cervejarias clássicas pelo mundo.

Mas, melhor do que olhar e cheirar uma cerveja é sorvê-la. Afinal, como apregoava Michael Jackson, “se vir uma cerveja, faça-lhe um favor e beba-a”. Segundo o beer sommelier e editor do portal Beer Art, Altair Nobre, os vários tipos de Pilsen se diferem nos sabores.

“A German é mais seca e tem o corpo suave, o que ressalta o amargor dos lúpulos alemães. Já a Bohemian tem mais diacetil, um componente que puxa o sabor para o amanteigado. Ambas são refrescantes e têm lúpulo presente. As American Lagers são menos amargas e têm mais drinkability, ou seja, dá mais vontade de tomar a próxima”, ressalta Altair.

Campeão do 2º Campeonato Brasileiro de Sommeliers, Gil Lebre destaca que, por ser a Pilsen uma cerveja muito suave, eventuais defeitos na fabricação podem ficar mais evidentes. Embora não tenha a complexidade de cervejas com ingredientes exóticos, a Pilsen não perde a nobreza.

“Mesmo suave, ela cumpre bem o seu papel. Para melhorar a experiência, de um modo geral o ideal é que as cervejas sejam bebidas frias e não estupidamente geladas. Assim, desprendem mais aroma, além do nosso paladar não ficar anestesiado. A minha maior dica é, sempre que possível, consumir a cerveja com refeições, ambos têm a ganhar e podem transformar a experiência gastronômica em algo único” – afirma Gil.

Ao cabo de tantas análises que podem ser feitas ao primeiro gole de uma Pilsen, o que marca, para além da descoberta de cheiros e sabores até então despercebidos, é o extremo prazer de degustar uma cerveja delicada, cuja personalidade conquistou apreciadores mundo afora.

Fonte: Globo.com


Nenhum comentário :

Instablog

[Instablog][bleft]