Harmonizações vegana e vegetariana podem surpreender cervejeiros


Além das saladas, comida vegana e vegetariana podem harmonizar com cerveja.

Bebida pode combinar com pratos saborosos que vão muito além da salada. Os estilos de vida vegetariano e vegano têm conquistado cada vez mais adeptos. Ao contrário do que muitos pensam, as opções de alimentação para esse público são bastante variadas e também podem ser harmonizadas com uma boa cerveja.

No geral, para combinar pratos veganos ou vegetarianos com cerveja segue-se os tipos de harmonização conhecidos. São três: por semelhança (quando elementos da comida e da cerveja têm notas parecidas), por complementação (quando a bebida e o alimento se completam) e por oposição (quando dois sabores distintos são mesclados).

Apesar da técnica ser a mesma, com a busca da harmonia entre sabores, a sommelière de cervejas e jornalista Taiga Cazarine comenta que uma possível dificuldade é usar cervejas mais potentes. No entanto, é uma culinária que pode surpreender. “Pode causar uma estranheza (em quem não está acostumado), por achar que são só vegetais, que é tudo suave. Mas não. Pode ter pratos como um risoto de limão, uma sobremesa, cogumelos que trazem uma intensidade ao prato e que podem levar a uma descoberta até por quem não é vegano”, aponta.

Atenção à composição da cerveja

As principais diferenças, segundo a sommelière, estão nos detalhes, principalmente na composição da bebida. Elementos de origem animal não podem fazer parte de uma alimentação vegana e ela lembra que alguns rótulos usam, por exemplo, um clarificante feito a partir de substâncias da bexiga de peixes. “Existem algumas cervejas no mercado que possuem chocolate, mel. Esses detalhes é que a gente fica de olho”, ressalta.

Veja algumas sugestões:

Salada com folhas verdes, nozes, tofu e molho de laranja – Para essa entrada, a sommelière já usou uma Saison com adição de damasco na harmonização. “É uma cerveja saborosa, mas suave, e traz uma leve acidez”, explica. A ideia em saladas é usar cervejas leves e que ao mesmo tempo ajudem a temperar o prato, como Witbier, Sour Ale ou Bohemian Pilsner.

Croquete de shimeji – Esse croquete não é tão pesado e gorduroso, apesar de ser frito. Para combinar com o cogumelo e com a fritura, Taiga indica uma Session IPA. “Trouxe o amargor, mas mais suave que uma IPA tradicional”. Outras opções são American Pale Ale, pelo amargor, e Märzen, que apresenta um equilíbrio de malte e lúpulo.

Espaguete de ragu de cogumelo e tofu – Ela conta que usou uma American Amber Ale para esse prato. A cerveja combina com a leve torra da combinação do cogumelo com o tofu. Outra dica seria harmonizar com uma Porter não muito robusta, ou uma Bock.

Sagu de frutas amarelas – Como sobremesa, o sagu de frutas amarelas fica complexo em aromas e sabores, pelo uso de manga, maracujá e laranja, e a escolha da sommelière é por uma Belgian Stron Golden Ale com levedura de Chardonnay. “O sagu ficou rebuscado, mais refinado, e essa Belgian Strong Golden Ale traz essa sensação rebuscada”, explica. A complexidade do prato e da cerveja se complementam. Outras opções seriam Saison ou uma Fruit Beer, que agregaria outra fruta.

Hambúrguer vegano – A harmonização clássica para hambúrgueres é com IPA e isso não muda tanto quando o sanduíche é vegano. Para um feito com arroz integral e cogumelo, por exemplo, Taiga indica também cervejas como a Red Ale, Sweet Stout e Rauchbier. “Rauchbier é uma proposta muito interessante, pelo defumado. Vai trazer uma proposta de tempero para o lanche”, explica.

Nenhum comentário :

Instablog

[Instablog][bleft]