Eventos Cervejeiros

[Eventos Cervejeiros][twocolumns]
[Eventos Dois][twocolumns]

Ipa da Berggren chega mostrando quais os lúpulos utiliza em seu Dry Hop




Ipa - Índia Pale Ale, cerveja feita pelos ingleses para navegações. Estilo que pôs a importância do malte e do lúpulo em um mesmo patamar. Pouco maltada e sem corpo, não é Ipa. Pouco lupulada, também não é...

Quando resolvi parar à beira do mar, para degustar essa Ipa da Berggren, logo me falaram “praia não é lugar de Ipa! Além disso nem está fazendo sol!”, eu respondi “não estou aqui pela praia, e nem pelo sol”. Claro, estava ali pelo mar, objeto de enfrentamento daquela cerveja, as Ipas foram criadas para enfrentar o mar, não estragar e chegar às Índias. 

E eu queria "viajar na vibe" dos marujos, que bebiam as Ipas em Mugs (canecas de vidro pesadas, boas para estabilizar a bebida, diante do balanço das embarcações), curtiam a maresia batendo no rosto, o cheiro do mar unindo-se ao aroma da cerveja. Uma harmonização involuntária, que reflete diretamente na experiência sensorial como um todo, as vias respiratórias e a boca ganham toques salgados a cada vez que respiramos, em seguida vem a Ipa e limpa tudo. Era isso que os caras sentiam, harmonia entre sal e amargo, maresia e retrogosto, uma festa sensorial.

A Berggren, cervejaria do interior de São Paulo, me parece confiar muito no que produz, isso me chama atenção. Eu já havia percebido isso, quando vi que ela não prepara lotes especiais para concursos e já ganhou algumas medalhas assim, simplesmente pegando produção comercial e levando às competições. 

E agora mais ainda, quando vi a garrafa revelando abertamente os lúpulos utilizados na produção dessa cerveja. A Ipa Bergren é muito aromática, um aroma cítrico e herbal (trazido pelos lúpulos) e um pequeno dulçor trazido pelo malte. Tem boa formação de espuma (com persistência média) e traz essa coloração laranja-avermelhada. A língua sente um adocicado inicial, mas logo depois sede espaço para os lúpulos Cascade, Chinook e Columbus, trabalhados em seu Dry Hop. O resultado é delicioso, sabor cítrico, herbal e adocicado. Inicialmente ela traz algo de refrescante, mas depois vem uma bomba de retrogosto, são verdadeiros 70 Ibu´s preparados para te acompanhar por muitos minutos após cada gole, e o sabor terroso típico do Columbus se faz claramente presente.

Excelente opção para quem gosta de Ipas intensas, porém balanceadas e com diversas atrações sensoriais. 

Na minha opinião essa cervejaria sai na frente por não esconder os lúpulos trabalhados, nem se contentar em apenas citá-los no contra-rótulo. Faz o contrário, estampa o que usa no alto de sua garrafa, transformando sua característica em força de vendas, mostrando que confia no que produz.

É sempre bom falar de uma cerveja e dizer onde você pode encontra-la, vou tentar fazer isso a partir de agora. E pelo que levantei, você acha essa Ipa da Berggren nas lojas abaixo:

- Mestre Cervejeiro (Pituba)
- Bravo Burger e Beer (Alphaville e Pituba)
- Malt3 (Graça)
- Confraria da Barba (Alphaville)
- Bahia Malte (Rio Vermelho)
- Canaã Meats (Pituba)
- Brutus (Lauro de Freitas)
- Empório Primus (Lauro de Freitas)
- Barber Beer (Serrinha)

Parabéns a Cervejaria Berggren, vou provar os demais rótulos e comentar aqui.

Até o Próximo gole!

Marcelo Vasconcelos
Editor, Colunista e Apresentador do Portal da Cerveja
Certificado pela Science Of Beer em Gestão de Leveduras e On/Off Flavours
Consultor Especialista do Programa Estação da Cerveja da Rádio Metrópole 101.3 FM
Insta e Face @portaldacervejaoficial 
Contato: 71 9.9933-2309 / marcelo@portaldacerveja.com

Um comentário :

  1. Ótima definição para essa ótima cerveja. Me tornei fã dela, assim como da APA da mesma cervejaria.
    Cerveja muito bem equilibrada, não falta na minha geladeira! Parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir

Degustando

[Degustando][bleft]

Mundo da Cerveja / Série Introdutória

[G Barbosa][twocolumns]