Eventos Cervejeiros

[Eventos Cervejeiros][twocolumns]
[Eventos Dois][twocolumns]

Cervejas maturadas em madeira: um dos destaques do Festival Brasileiro de Cervejas




O colunista Luis Celso Jr, do Bar do Celso, comenta os rótulos que encontrou no evento em março em Blumenau

Um evento de cervejas é sempre desafiante. São muitas para degustar, diversas novidades e tendências, e sempre pouco tempo. Felizmente o Festival Brasileiro da Cerveja acontece todo ano. Na última edição, realizada entre 8 e 11 de março em Blumenau (SC), além de reencontrar amigos, foi novamente época de tentar essa missão deliciosamente impossível. Sem ter a pretensão de ser exaustivo, separei alguns comentários cervejeiros. 

Sours e outros azedumes

Se nos últimos tempos as cervejas maturadas em madeira foram a grande tendência apresentada no evento, chegou definitivamente a vez das cervejas ácidas. Entre os quase 130 estandes de cervejarias, estimo que pelo menos metade tinha alguma Sour Beer. 

Além das versões de produção mais rápidas, conhecidas como Kettle Sours, outras mais complexas surgem. É o caso das deliciosas Flanders Red Ales. O destaque para mim foi a curitibana Morada Cia Etílica Gasolina Sour, medalha de ouro no concurso do festival nesta categoria. Mas ainda haviam mais duas muito boas, da também paranaense Bodebrown e da gaúcha Maniba. 

IPAs

Brincar com o estilo India Pale Ale já está virando rotina para os cervejeiros brasileiros. Sem apego à tradições, eles colocam sua criatividade para funcionar. Além de ótimas versões do que há de mais novo no mercado mundial, como as New England IPAs (menos amargas, mais aromáticas, turvas e macias), como da paranaense RedCor, também teve até lacto IPA, uma releitura do estilo que inclui lactose na receita, feita pela mineira Verace. 

Madeiras

A única coisa a lamentar das cervejas maturadas em madeiras do Festival é que muitas só podemos beber nesses eventos. São feitas em lotes pequenos que nem sequer chegam ao mercado. Mas há algumas que superam essa barreira e fazem a alegria do grande público. É o caso da Dama Reserva 7, que comemora o aniversário da cervejaria de Piracicaba (SP). Esse ano, a receita é uma Doppelbock maturada em diferentes barris. Delícia! 

Frutas

Muitas das cervejas ácidas são feitas com frutas, como é o caso das novas cervejas da Way Beer com caju e goiaba, e mesmo a Watermelon Ale, lançada com melancia no começo do ano. Mas há outras possibilidades. A Verace, por exemplo, fez a Maracutaia, um fruit beer com acidez apenas das frutas misturando maracujá e pitaia. 

Lembrando que muitas bebidas das mencionadas são lançamentos, algumas nem tem preço ainda, e devem aparecer no mercado em breve.

Dama Reserva 7

Estilo: Wood Aged Barrel
Embalagem: 500 ml
Teor Alcoólico: 10,5%
Origem: Piracicaba – SP

Preço: sem valor definido.

Blumenau Sun of a Peach

Estilo: Sour
Embalagem: 500ml
Teor Alcoólico: 4,1%
Origem: Blumenau – SC

Preço: R$ 22 a R$ 28,90

RedCor Cumulus Lupulus

Estilo: American IPA
Embalagem: 500 ml
ABV: 6,5%
Origem: Maringá- PR

Preço: de R$ 25,90 a R$ 35

Way Sour Me Not Goiaba

Estilo: Fruit Beer
Embalagem: 355 ml
Teor Alcoólico: 3,5 %
Origem: Curitiba – PR

Preço: R$ 15 até R$ 19,90

Por: Luis Celso Jr.
Fonte: Gazeta do Povo

---

Ah! Antes que a gente esqueça... Siga o Portal da Cerveja no Facebook e no Instagram pelo @portaldacervejapontocom. É isso aí, até o próximo gole!

Da Redação

Nenhum comentário :

Degustando

[Degustando][bleft]

Mundo da Cerveja / Série Introdutória

[G Barbosa][twocolumns]